quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Os Reis da Liberdade: “No Terreiro Maranhão, o Fidalgo é Pai Francisco.”


O bloco tradicional “Os Reis da Liberdade”, que completará em abril desse ano 30 anos de tradição no carnaval ludovicense, parte firme para disputar aquele que poderá ser o seu primeiro título do carnaval. 

O bloco está em ascenção e levará para avenida  o tema “No Terreiro Maranhão, o Fidalgo é Pai Francisco., que homenageia uma das principais figuras do folclore maranhense, o Pai Francisco do bumba-meu-boi.

Marcado pela irreverência dos seus desfiles e fantasias e com um belo samba de autoria de Gilvan Mocidade e Zé Lopes, apresentará na avenida o figurino de Enoque Silva, um dos mais premiados figurinistas do carnaval de blocos tradicionais.

Segundo Eder Silva, presidente da agremiação, o bloco mostrará mais uma vez a força do carnaval da Liberdade. “Vamos realizar um grande carnaval! Os Reis da Liberdade vem crescendo a cada ano e com a força da nossa comunidade iremos realizar um belo desfile. E quem sabe, na quarta-feira de cinzas o bloco estará se não na cabeça, mas com certeza entre os três primeiros colocados”.   

O Bumba-meu-boi 


O Bumba-meu-boi é uma manifestação do folclore brasileiro que se fundamenta numa lenda sobre a morte e ressurreição de um boi. A festa tem ligações com diversas tradições africanas, indígenas e européias, inclusive com as festas religiosas católicas, sendo fortemente associada ao período das festas juninas. Embora presente em vários estados brasileiros, o que denota inúmeras variações da manifestação, sua origem é o estado do Maranhão. 

A narrativa tem como protagonistas Pai Francisco, vaqueiro de confiança do proprietário da fazenda que para realizar o desejo de sua amada mata o melhor novilho da manada para retirar a língua desejada por Catirina, que se encontrava grávida. Tendo que dar conta do gado já morto ao seu patrão, Chico desesperado chama o curandeiro para que ressuscite animal. Assim todos dançam e cantam em comemoração ao milagre alcançado.

Aqui no Maranhão, o Bumba-meu-boi é o epicentro das festas junina, seu ciclo inicia-se com o batizado simbólico do boi e termina com sua matança, sem esquecer, do período dos ensaios que acontecem nos meses que antecedem as festividades. Em cada apresentação é realizada a encenação do alto do Boi, que alimenta e dá vida ao movimento, uma vez que reproduz reiteradamente a lenda originadora da brincadeira.

E é com a força de Chico e o desejo de Catirina que os Reis da Liberdade encantarão o público do anel viário em seu desfile em 2016, trazendo para a festa de momo a confluência de grandes paradoxos, na qual a nobreza e a pobreza, a luxúria e a simplicidade, a feiúra e a beleza dialogam na busca do equilíbrio que deve nortear a essência da natureza humana para que se alcance a tão sonhada felicidade. 

Os Reis inspirado na fé e no amor de Pai Francisco faz de seu desfile uma profusão de cores, uma verdadeira congregação apoteótica para coroar nosso Chico o rei maior de nosso povo simples. E Assim envolto pela magia do curandeiro da floresta, pelo mistério dos cazumbas e pela graciosidade de nossas índias o bloco irradiará e encantará todos os expectadores presentes na passarela e amantes da arte e cultura produzida e difundida pelo maranhense. Urrô... Urrô...Urrô....